Abadore Muare, o Portal para a sua evolução !
Tinteiro Abadore Muare  - O portal para a sua evolução !   Valid HTML 4.0 Transitional

Principal  | »Alimenta tua alma  | Informática  |  Seu espaço  | Ab-Empório  | Colunas

Crônicas  | Ab-bobrinha  | Espaço Cochicho (In Memorian)  | »Vivas vividas em Paracatu


"Depois da morte o espírito tem que ter uma colocação, ele não é visual para nós, mas continua com vida"

Adão Ramos

Nascimento:  20 de Abril de 1917
Residência :   Rua Volnei Meirelles, 721 - bairro Nossa Senhora de Fátima
Entrevista:  01 de Abril de 1999

    Os meus pais tinham um sítio chamado Resolve em Capelinha das Graças, 60 léguas de Diamantina. Eles eram lavradores, plantavam café, cana e milho. Eu nasci lá.
    O meu pai chamava Sebastião Ramos Loureço e minha mãe Eva Ferreira Neves. O meu avô chamava Antônio de Souza, ele tinha uma fazenda e o meu pai comprou uma parte da fazenda dele e formou o sítio Resolve. Trabalhei com meu pai na lavoura até completar 22 anos.
    Em 1939 eu casei e passei a trabalhar por mim mesmo na própria fazenda de meu pai. Vivi com minha primeira mulher Gesuína durante três anos e ela morreu no primeiro parto, morreu ela e a criança. Casei pela Segunda vez em 1966 e vivi com ela três anos, tivemos duas filhas que morreram logo depois. A primeira filha morreu no parto e no segundo parto, morreu minha mulher e minha filha, a minha esposa chamava Enedina.
     Casei pela terceira vez em 1972 com a Elvira e não tive filhos, ela morreu de febre amarela. A Quarta mulher chamava Expedita e depois de quatro anos de casada ela morreu de tuberculose e me deixou dois filhos, o Sebastião e o Lafaiete sendo que Sebastião morreu atropelado. Amiguei então com Maria que foi morrer de câncer e tive três filhos com ela e agora estou sozinho. Quando a Gesuína morreu, eu gostava muito dela e fiquei desgostoso e sai de lá do Sítio Resolve e fui para são Paulo trabalhar de pedreiro, onde fiquei durante quinze anos.
    De são Paulo vim morar no ribeirão são Pedro, onde arrendei a fazenda Laço Forte do Sr. Wilson. Passei a tocar lavoura e criar porco. Tive um lucro com este trabalho, dava para salvar as despesas.
    Acabei com tudo e vim morar aqui na cidade de Paracatu, comprei o terreno no Bairro Nossa Senhora de Fátima, construi minha casinha onde moro até hoje. Aposentei em 9 de janeiro de 1983 recebo um salário mínimo e agora vivo sem fazer nada.
    Durante o tempo que Getúlio Vargas foi presidente da República foi a melhor época para o Brasil, foi onde o país viveu com mais folga e os brasileiros tinham mais descanso . Foi o melhor presidente do Brasil e depois dele foi o Juscelino. A revolução de 64 não foi ruim para o povo, não atingiu o brasileiro em nada. Agora o Fernando Henrique não está valendo nada, está matando a nação, os salários estão congelados e não temos dinheiro para nada, nem para comer.
    Sei que não vou ver , mas vai acontecer uma grande revolução aqui neste país, daqui uns dois anos, devido a situação que estamos vivendo, o brasileiro vai acabar não aceitando o que está acontecendo. A revolução já está rompendo, é só olhar o número de acontecimentos no dia a dia, todo dia nota-se uma diferença. O PT é um bom partido, porque é dos trabalhadores, mas, eu gosto mais do PTB por causa do Getúlio Vargas. Votei na última eleição em Lula, porque ele é um homem que trabalha a favor dos pobres.
    Gosto muito do prefeito de Paracatu, o Almir. Ele pegou a prefeitura na tapera e agora só está consertando. Ele está fazendo de novo o que estava mal feito. Eu sou uma pessoa que segue a natureza, o que a natureza pede para eu fazer eu faço. A natureza é uma coisa que eu não sei explicar o que é, só sei que é o tipo de cada um. Um dia, estava no meu quarto, era noite, e apareceu uma espírito de mulher me pedindo para que eu cumprisse uma promessa. Ela falou comigo que chamava Joana de Brito e me pediu que rezasse um terço para as almas que ela ficou devendo. No outro dia rezei o terço. Eu não sabia quem era ela e no dia seguinte perguntei os mais velhos quem era Joana de Brito e me falaram que ela tinha morrido e mais tarde conheci os três filhos dela.
    Acredito que depois da morte o espírito tem que ter uma colocação, ele não é visual para nós, mas continua com vida. Tem espírito que está bem colocado pôr Deus e não fica vagando. Quem não está bem colocado pôr Deus vai ficar vagando no espaço até reencarnar novamente em um outro corpo. Eu acredito que só tem gente aqui na terra, neste nosso planeta. Embaixo da terra só existe água e mais embaixo, lá no fundo, existe o metal e acima da terra, somente Deus.
     Estamos vivendo uma época muito difícil, não se pode ter confiança em mais ninguém, nem nos filhos. O meu filho, infelizmente usa droga e eu não posso ter confiança nele, porque um dia ele pode chegar aqui em casa com a droga vencida e me maltratar e talvez até me matar. não estou esperando mais nada da vida, não tenho mais forças, não posso mais trabalhar, só estou aqui esperando a morte chegar.


Próximo: Anísia Moreira da Silva